Ilhas Seychelles: O que fazer na primeira experiência de viagem?

Se a definição de paraíso na terra existe, um bom exemplo podem ser as Ilhas Seychelles. Trata-se de um arquipélago dentro do Oceano Índico, com 115 ilhas e um grande número de praias e vasta beleza natural. Contando com um clima tropical característico, o destino é um convite para vivenciar dias únicos, com a sensação de estar em um lugar exclusivo no universo.

As ilhas são referência e líderes mundiais em turismo sustentável, portanto possui um ambiente natural intacto e estável, o que atrai muitos visitantes com poder financeiro (em número maior do que o turismo em massa de curta duração).

Praia nas Ilhas Seychelles
Praia nas Ilhas Seychelles

É bem prático chegar às ilhas saindo do Brasil, existem companhias aéreas que realizam a rota entre os países com apenas uma conexão, e nas ilhas a locomoção é bem simples. O aeroporto internacional fica localizado em uma de suas ilhas, e que é porta de entrada de todos os voos internacionais.

O ideal é fazer um combinado de várias ilhas no seu roteiro de viagem, assim poderá desfrutar de mais atividades e atrações, visto que cada uma é singular em suas características e paisagens. Além disso, os serviços locais e atividades ofertadas são bastante interessante, e o deslocamento entre elas é muito acessível. Confira abaixo o que fazer na primeira experiência de viagem nas Ilhas Seychelles:

Mahé

É a maior e principal ilha do arquipélago e também abriga a sua capital, com 70.000 habitantes. Acredite se quiser, 90% da população do país vive nesta ilha. Ainda assim, Mahé consegue preservar, e bem, sua natureza local.

Ilha de Mahé, Seychelles
Ilha de Mahé, Seychelles

Suas praias guardam uma beleza única para seus visitantes, assim como uma flora que dispõe de espécies raras de orquídeas. Mahé também abriga o Museu Nacional, o Jardim Botânico e o Centro de Artesanato Codivar, que são atrações imperdíveis. A ilha possui infraestrutura ampla, sendo possível a locação de carros para melhor exploração do lugar.

Ao total, a ilha possui 65 praias, com um incrível e variado tom de azul em suas águas – algo que se destaca, sendo que ao Norte ficam as praias mais populares e ao Sul as mais selvagens e intactas. O que não irá faltar, serão lugares e paisagens de tirar o fôlego de qualquer visitante.

Praslin

Como segunda maior ilha do arquipélago, Praslin possui aproximadamente 8.600 habitantes, com um território de aproximadamente 37 km², o que torna possível conhecê-la de ponta a ponta em uma experiência de mais ou menos duas horas de carro.

Ilhota em Praslin Vista de Cima
Ilhota em Praslin Vista de Cima

Suas lindas praias, aliada a um povo muito hospitaleiro, são ideais para o visitante ter uma estadia inesquecível. Lá é possível ter contato e conhecer o cultivo das pérolas negras feitas na única fazenda de ostras do Oceano Índico, assim como muitas espécies raras de animais.

A ilha abriga o Vallée de Mai, o parque dos cocos gigantescos, que é símbolo do país. Também é possível observar as tartarugas gigantes, que são uma atração à parte.

La Digue

Das ilhas habitadas é a mais difícil de ser acessada, porém depois é difícil de querer ir embora. O lugar é simplesmente divino. O melhor jeito de passear pela ilha é de bike, assim você pode contemplar a natureza no seu tempo e descobrir lugares únicos. As praias são magníficas e o Sol constante torna tudo ainda mais lindo. O ideal é ficar mais de um dia para aproveitar a ilha. La Digue é uma excelente opção que define a experiência de turismo a dois nas Ilhas Seychelles.

Praia de La Digue, Seychelles
Praia de La Digue

Nesta ilha, as tartarugas gigantes andam soltas na natureza, o que é incrível. Os dias aqui são marcados por tranquilidade, propiciando uma forma de aproveitar com bastante calmaria cada paisagem local.

As estradinhas são bem sinalizadas, o que permite a exploração de praticamente toda a ilha. A hospedagem é muito boa assim como a alimentação, mesmo que prefira um prato diferenciado. As praias de La Digue dariam um capítulo à parte. É simplesmente é uma injustiça tentar compará-las a quaisquer outras.